Uma nova vida nas varandas

Nestes dias complicados que estamos a viver, as varandas abrem-se como aberturas para a esperança adquirindo um protagonismo especial para evitar o isolamento de quem conta as horas.

Compartilhar:

Aplausos, canções e conversas entre vizinhos têm demonstrado  que este espaço às vezes tão esquecido no nosso lar pode ser esse lugar com vida que tanto precisamos nestes momentos complicados.

Hoje, a Lares que Latem, quer falar sobre como vamos manter protegidas as nossas varandas num momento em que são mais necessárias que nunca.

E segundo os especialistas, esse nexo de união com a comunidade ajuda a gerar um impacto emocional nas pessoas que as leva a compartilhar lembranças, opiniões e sonhos nas alturas.

Conforme declara numa recente entrevista concedida à Revista Hola, a psicóloga Pilar Conde, esta autêntica revolução das varandas está a fazer com que se afirmem as seguintes tendências:

Reforçou-se a nossa sensação de pertencer a um grupo, da vizinhança à nação, gerando empatia e responsabilidade para com todos.

Permite-nos comprovar que não estamos sozinhos, que as outras pessoas também precisam de contacto. Torna-nos necessários uns para os outros.

Ocupa o nosso tempo e permite-nos ampliar o nosso espaço habitável para compartilhá-lo com quem temos ao lado ou à frente.

E sobre este último aspeto a Saxun tem muito que dizer. Os toldos de ponto reto foram especialmente pensados para quem deseja dispor de uma varanda habitável durante as 24 horas do dia, nestes longos dias de primavera, sendo uma opção simples, rápida de instalar e cómoda de utilizar. 

Idealizados para qualquer tipo de varanda com corrimão, podem ser fixadas ao teto ou de maneira frontal, sendo opções ideais para comunidades com uma vida de vizinhos muito animada. 

Themis, Metis e Hybris. Toldos de ponto reto com nome próprio para usuários que valorizam a função das suas varandas.

Toldos para lares que latem.